O meu Natal foi assim

18:20:00 Inês de Almeida 0 Comments

Gosto do Natal desde que me lembro de ser gente. Quando era pequenina adorava a antecipação das festas, com os anúncios de brinquedos a passar na televisão, as ruas a encherem-se de luzes e as músicas natalícias a entrarem em casa. É a melhor forma de dar entrada na estação mais cinzenta do ano, o Inverno. Actualmente, apesar da magia ser diferente, continuo a gostar imenso desta época. Em Novembro já sinto o espírito natalício em força e irritam-me os Grinchs que se queixam das alusões ao Natal.


Como a minha irmã emigrou, as tradições sofreram algumas mudanças. No ano passado ela ainda conseguiu passar cá o Natal, mas neste já não. Por isso fizemos um jantar de Natal antecipado, no dia 23 (o que significa mais festa e mais calorias, ups!). Este ano também houve boas mudanças, pois além da família, também passei o dia de Natal com o meu namorado. 

Na terceira foto aparece o meu cão Pipo que, ao contrário do cão do anúncio da Vodafone, não ficou nada satisfeito quando lhe pusemos uma bandolete com enfeites de Natal. Esta foto foi a mais decente que lhe conseguimos tirar, enquanto não tirou a bandolete com as patas e a começou a morder.


Quem não adora uma árvore de Natal carregadinha de presentes? É bom dar e receber, conversas anti-consumismo à parte! No meu Instagram partilhei alguns dos presentes que recebi, como o batom Velvet Teddy da MAC (na 2ª foto), que é o tom favorito da Kylie Jenner (não sei como é que o meu namorado adivinhou que queria esta cor) e a manta da princesa, que eu queria muitoooo. Também recebi o pijama da VS que andava a namorar há séculos (obrigada, maninha), entre outros presentes que gostei muito.

Há quem tenha um discurso carregado de negativismo acerca desta época. Ou é a questão religiosa que se foi esquecendo, ou o consumismo desenfreado em que se transformou o Natal, ou as quantidades absurdas de calorias que se ingerem e comprometem a forma física durante o resto do ano... Enfim, por cada coisa boa que existe há quem invente umas dez más. Acho que devemos aproveitar o melhor desta época, sem grandes exageros. Dar prendas de acordo com o nosso orçamento e comer os nossos pratos preferidos com relativa moderação.Mas esta é, sem dúvida, uma altura do ano para sermos feliz e fazermos os outros felizes. E que mal poderá haver nisso?

0 comentários: