Os melhores e os piores restaurantes que conheci em 2015

18:50:00 Inês de Almeida 2 Comments

Quem me conhece ou segue pelo Zomato (aqui) sabe que sou um bom garfo. Se antigamente me parecia um disparate gastar certas quantias em restaurantes, hoje adoro conhecer novos sítios e sei que a qualidade se paga. No entanto, às vezes paga-se e não se sai tão satisfeito quanto se esperava. Ao longo deste ano tive sobretudo boas experiências gastronómicas, mas também tive umas quantas que ficaram aquém das expectativas. 

Os melhores

Sushihana (esquerda), 100 Maneiras restaurante (1º do meio), Gull (2º do meio), Puttanesca (3º do meio) e Castas e Pratos (direita)

Sushihana and The Gin House, Porto - Este foi o ano em que comi mais sushi e me apercebi do quanto aprecio esta iguaria japonesa. No entanto, nenhum sítio me encheu as medidas como o Sushihana no Porto. Foi o melhor sushi de fusão que experimentei até hoje. Combinações inesperadas, sem serem enjoativas. Em conjunto com o gin é uma combinação dos deuses. 

100 Maneiras (bistro e restaurante), Lisboa - Tive a sorte de conhecer ambos os 100 Maneiras em 2015, o bistro e o restaurante. E 'wow', foi a experiência gastronómica do ano! Sobre a ida ao restaurante com o menu de degustação falei aqui, mas o bistro também vale muito a pena. Nunca tinha provado comida tão diferente e tão apurada. Uma surpresa a cada garfada!

Gull, Porto - O Gull é outro dos restaurantes de sushi do Porto que merece uma visita. Para começar, a vista é soberba. Dá vontade de comer e ficar. E o sushi é francamente bom (só peca na quantidade), assim como a sangria. Para quem gosta do sushi mais simples e bem fresquinho, é o spot ideal. 

Puttanesca, Leiria - Este restaurante é o meu preferido em Leiria. Já lá tinha ido várias vezes, mas a que ficou para a memória foi quando provei o chuleton com noventa dias de maturação. Que carne tão tenra e saborosa! Uma maravilha para os apreciadores de carne. E depois é tudo o resto, o presunto finíssimo como entrada, bom vinho a acompanhar e um tiramisú que me encheu as medidas no final da refeição.

Castas e Pratos, Peso da Régua - De um velho armazém da estação ferroviária de Peso da Régua fez-se um restaurante em que se come e bebe o melhor que o Douro tem para oferecer. No rés-de-chão fica o bar de vinhos, com inúmeras opções para escolher à carta, seja em garrafa ou copo e no 1.º andar fica o restaurante. Provei o bacalhau com crosta de amêndoa e puré de camarão e um vinho tinto maravilhoso de que, infelizmente, não me recordo do nome. A refeição não podia ter acabado melhor: petit gateau de chocolate com gelado de frutos silvestres. O atendimento é óptimo e o espaço intimista, ideal para um jantar a dois. Deixou-me muita vontade de regressar.

Os piores

Atalho Real (em cima à esquerda), Honorato (em baixo à esquerda), To.B (no meio), Las Ficheras (em cima à direita), Up to Sushi (em baixo à direita)

Atalho Real, Lisboa - Por ouvir boas críticas acerca deste espaço e pela elevada pontuação no Zomato, foi um daqueles em que a experiência ficou muito aquém da expectativa. O espaço é fantástico, especialmente para quem fica no jardim, e o atendimento é atencioso (às vezes demasiado insistente). Mas o prato em si não me agradou e no final até me deixou um pouco indisposta. O porco preto estava demasiado grelhado e, principalmente, muito salgado. As batatas estavam comestíveis, mas longe de me encherem as medidas. E a salada coleslaw tinha tanta maionese que a maior parte acabou por ficar no prato. 

Honorato, Lisboa -  Com a repentina popularidade das hamburguerias gourmet foi vê-las a surgir que nem cogumelos por toda a capital. O Honorato é uma das mais populares, mas a mim não me agradou particularmente. O hambúrguer até estava saboroso, mas não achei nada de extraordinário e as batatas eram completamente vulgares (e demasiadas - mas cada um come o que quer). Não foi a pior hamburgueria a que já fui, longe disso, mas pelo hype esperava muito melhor. 

To. B, Lisboa - Se o Honorato me desiludiu, desta nem se fala... Hambúrguer banalíssimo, pão parecido com o do McDonalds e ingredientes meramente razoáveis. Das batatas não gostei (ah, abençoada batata doce da Hamburgueria do Bairro!) e o sumo num copinho minúsculo a 3€? Só vale pela localização e pelo espaço, que até é giro, mas a comida não vale nem metade do preço que pedem. A não voltar.

Las Ficheras, Lisboa - Outro que andava deserta de experimentar e que só me agradou até chegar o prato principal. Gostei muito da entrada, um ceviche de peixe branco muito saboroso, e dos mojitos, mas o burrito deixou-me enjoada. O acompanhamento é péssimo, nachos com molho (quando também servem os nachos como entrada) e o burrito é pesadíssimo. Leva carne de vaca picada, arroz, feijão, abacate e queijo... Comi metade e deixei o resto no prato. Só fiquei com vontade de voltar pelas bebidas e para picar qualquer coisa, porque para o preço a refeição deixou muito a desejar.

Up to Sushi, Lisboa - Este espaço tem apenas dois aspectos razoavelmente positivos: o espaço e o sushi, que não é de se deitar fora. No entanto, o preço é absurdo para o que se retira da refeição. All you can eat é mentira, porque o serviço é tão demorado que é difícil sair satisfeito. A sangria de maracujá que sugerem é uma bebida inenarrável, parece um xarope de frutos tropicais de fraca qualidade. E o sushi é bom mas não convence, muito menos quando o serviço é tão fraco.

Para 2016 fica a vontade de conhecer vários outros espaços, como o Cantinho do Avillez, a Cevicheria e o Bastardo. Depois prometo contar tudo por aqui!

2 comentários:

  1. Cantinho do Avillez, Cevicheria e o Bastardo não são nenhuma novidade, mas para quem não conhece são todos merecedores de uma visita. Sobre o Cantinho não é preciso dizer nada, o nome fala por si e a fama assenta-lhe bem. A Cevicheria foi provavelmente o best off de 2015 em Lisboa, o conceito, a comida e principalmente o balcão fazem ir e voltar as vezes necessárias. O Bastardo é a minha cantina, sou suspeito quando falo dele pois elevo demasiado as expetativas e cada um tem os seus gostos, mas vale bem a pena provar ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sigo o teu Instagram, João, e fico a babar-me com algumas fotos de pratos que pões ;) Talvez esta wishlist também seja um pouco da tua responsabilidade. Por isso se a experiência não correr bem, já sei quem chatear. Ahaha Este ano por enquanto tenho esses três na calha! Mais algum que aconselhes? Ah, também tenho o Alma do Sá Pessoa debaixo de olho.

      Eliminar