The Ordinary, a melhor descoberta que fiz este ano


Vejo muita gente preocupada em estar fit, mas pouca a ter o mesmo zelo com a pele. E a verdade é que os quilos vão e vêm, mas as rugas - assim que se instalam - já não vão a lado nenhum. Por isso, e também porque me foi incutido desde cedo pela minha mãe, sempre tive a preocupação de hidratar bem a pele do rosto. E quando digo sempre é literalmente desde sempre, julgo que desde os 12 anos.

Já usei cremes de imensas marcas diferentes. Penso que comecei pelo Nivea Young. Um hidratante bem fraquinho, mas que serve para os primeiros anos de transição, da pele de criança para a pele de adolescente. Depois disso, usei cremes de farmácia durante muitos anos. Experimentei La Roche Posay e Caudalie, entre outras marcas. Também cheguei a comprar um  creme da Chanel, mas rapidamente percebi que não tinha budget para isso (e não senti que valesse a pena). E, mais recentemente, andei uns anos a usar cremes da Kiehl's, marca que não recomendo particularmente, exceto pelo creme de corpo e de mãos.

Depois de ter ouvido falar dos produtos da The Ordinary, que fazem parte do grupo canadiano Deciem, fui pesquisar mais a fundo para perceber o porquê do falatório. E percebi. O que é que diferencia esta marca das demais e porque é que gigantes como a ELLE lhe chamam a revolução de beleza do século XXI? Porque é realmente eficaz e oferece produtos brilhantes e de alto desempenho a preços acessíveis. E sim, quando digo acessíveis, digo mesmo a sério.


Marcas como a Chanel, por exemplo, não cobram só o preço de fabrico do produto, mais distribuição e margem de lucro, como é óbvio. Grande parte do que pagamos, quando adquirimos um produto de uma marca de luxo, é o branding. Pagamos a celebridade que dá a cara pela marca, os anos de reputação da casa, os anúncios publicitários em sítios ultra concorridos, como a Times Square, e até o simples fator desejo, que apela a todos os consumidores que optam por este tipo de produtos.

A The Ordinary despe-se disso tudo. Investe zero em publicidade e opta por um packaging simples e clean, cujo propósito é apenas o de conservar o produto o melhor possível (daí a diferença de materiais e cores das embalagens). A própria forma de comunicar da marca é diferente de todas as outras, sendo até alvo de algumas críticas (basta irem ver a página de Instagram da Deciem). Mas tudo isto não nos interessa tanto a nós consumidores como a qualidade dos produtos que, na minha opinião e de tantos outros que já experimentaram, é realmente revolucionária.

A primeira vez que encomendei produtos da The Ordinary foi em fevereiro deste ano. A marca é do Canadá mas tem sede em todos os continentes, por isso não se corre o risco de se ter de pagar alfândega. Depois de ver reviews dos vários produtos no Youtube e de ler artigos em todo o lado, decidi quais é que queria e fiz a encomenda. Aconselho a quem queira encomendar que faça o mesmo, porque os produtos não se diferenciam da forma usual, mas sim pelos princípios ativos que possuem.

Não há melhor forma de vos falar da marca do que mostrar-vos os produtos que já experimentei. Ainda não me aventurei por todas as categorias, nem perto, por dois motivos. Primeiro porque tenho 28 anos e ainda não sinto necessidade de usar retinol, por exemplo. E segundo porque tenho pele atópica, o que significa que a minha pele tem uma composição diferente da pele normal, tendo falta de algumas gorduras, o que torna a pele mais seca e com uma barreira mais frágil. Por isso não me posso aventurar tanto como outra pessoa sem esta condição de pele, sendo que já o fiz e correu mal. Mas já vos explico. Vamos aos produtos!



9,90€

Este óleo é o meu Santo Graal dos cuidados com a pele. Só me falta bebê-lo. É incrível. Possivelmente dos produtos mais hidratantes e multifunções que alguma vez usei. Deixa a pele visivelmente mais hidratada e macia e, por incrível que pareça, quando tenho alguma borbulha, uso-o durante a noite e a pele acalma logo, o que é explicado pelas suas propriedades antibacterianas, que ajudam a minimizar as cicatrizes provocadas pelo acne.

O  Marula Oil é rico em antioxidantes e é conhecido como um óleo de luxo. O da The Ordinary é prensado a frio, o que significa que conserva todas as suas propriedades benéficas. E este tem imensas. É um óleo muito leve, que é facilmente absorvido, sendo rico em vitaminas C e E, o que ajuda a pele a recuperar dos danos causados pelos radicais livres, exposição solar e poluição.

Falar de possíveis benefícios não se compara a experimentar os produtos e a comprová-los efetivamente. Este posso garantir que vale a pena. E o melhor é que o preço é infinitamente mais simpático que noutras marcas. Por exemplo, o óleo de marula mais conhecido é o da marca Drunk Elephant. Este custa 72 dólares. De 72 dólares para 9,90€ vai uma diferença grande. É a diferença dos produtos da The Ordinary para os outros. Já perceberam por que é que sou fã?




30ml, 5,80€
100ml, 7,70€

Sim, o meu creme hidratante favorito custa 7,70€, a embalagem maior! Damn, ainda me custa a crer. Desde a faculdade que nunca usei cremes que custassem menos de dois dígitos e agora acho que todos eles ficam aquém deste.

O Natural Moisturizing Factors + HA é precisamente isto: um creme que junta todos os elementos que mantêm a camada externa da pele protegida e hidratada. Este contém  "múltiplos aminoácidos, ácidos graxos, triglicéridos, ureia, ceramidas, fosfolipídios, glicerina, sacarídeos, PCA sódico, ácido hialurónico e outros compostos que estão naturalmente presentes na pele" [sim, fui buscar a descrição que está no site - porque é a melhor].

Este creme hidratante não tem cheiro, tem a embalagem mais simples do mundo e cumpre na perfeição o que promete: hidratar a pele. É o hidratante perfeito para combinar com outros produtos de tratamento e/ou séruns, fazendo todo o sentido constar da linha da The Ordinary. Porque a filosofia da marca é fazer produtos honestos, mas simples, que as pessoas possam combinar numa rotina de pele que se lhes adeque na perfeição. Não é uma marca para os "mais preguiçosos", mas sim para quem se interesse pelos cuidados com a pele e esteja disposto a explorar um pouco mais o assunto.


4,20€

O óleo de borage é utilizado para desordens da pele, nas quais se incluem o eczema, a dermatite seborreica e o acne. É um óleo calmante e nutritivo que contém uma concentração excecionalmente alta de ácido gama-linoleico (GLA), um importante ácido graxo essencial, sendo especialmente indicado para quem tem a pele seca ou irritada.

Apesar de gostar deste produto, confesso que não esteve à altura das minhas expetativas. Como disse no início do post, eu tenho pele atópica, por isso estou sempre à procura de cremes que consigam suprir as necessidades da minha pele, especialmente do corpo. Como andei a usar um creme para o corpo incrível, que a minha irmã comprou no Dubai e que contém borage, fiquei curiosa para experimentar este óleo.

Apesar de cumprir em termos de hidratação, é um óleo bem mais pesado que o óleo de marula, tendo um cheiro mais intenso também (cheira literalmente a óleo). [Sim, os produtos da The Ordinary são de tratamento, por isso não esperem que tenham cheiro a perfume - o que para mim faz todo o sentido.] Gosto do óleo e acho que é um produto que tem uma excelente qualidade/preço, mas não é o que mais vos aconselharia a comprar.


8,70€

Se também são novatos nisto dos cuidados com a pele, como eu era, se calhar ainda não ouviram falar de ácidos. Se por outro lado são fãs do blog da Caroline Hirons, já estão mais que familiarizados com o assunto.  Ora, resumidamente, o que são os ácidos? Os ácidos fazem uma exfoliação química à pele, eliminando as células mortas, renovando a tez e prevenindo o aparecimento do acne. Além disso, também estimulam a produção de colagénio e elastina, dando firmeza à pele, reduzindo as rugas e atenuando as manchas.

Parece espetacular, não é verdade? Bem, acredito que seja, mas não foi para mim. E porquê? Lembram-se de eu ter dito que tenho pele atópica? Pois. A barreira protetora da minha pele já está fragilizada à priori e pôr-lhe ácidos em cima representa uma agressão maior do que ela consegue suportar, fazendo com que estes deixem de ter os efeitos positivos que lhes estão normalmente associados. É por isso que a utilização de ácidos deve ser aconselhada por um dermatologista, ou pelo menos não deve ser feita à toa, como eu fiz.

Quando comecei a usar os produtos da The Ordinary cometi dois erros, mudar toda a minha rotina de pele de uma vez e achar que podia experimentar produtos de tratamento sem problema algum, esquecendo-me da condição da minha pele. O que é que aconteceu? A minha pele reagiu mal ao ácido glicólico, o que fez com que tivesse de ir retirando todos os produtos e acrescentando de novo, para ver o que me estava a fazer mal.

Independentemente do que me aconteceu a mim - e feito o disclaimer - acho que este produto vale a pena para quem não tenha pele atópica. A Jennifer Lopez diz que é o ácido glicólico que lhe mantém a pele com uma aparência tão jovem. Há quem compare o Glicolic Acid da The Ordinary ao Glow Tonic da Pixi, um produto de culto. Mais uma vez, existe uma diferença substancial de preço entre eles, o da TO tem 240ml e custa 8,70€ e o da Pixi tem 250 ml e custa 23,95€.


8,80€

O EUK 134 é um antioxidante muito poderoso que se auto-regenera, protegendo a pele durante 24 horas. A The Ordinary considera que "o preço baixo baixo desta fórmula não reflete a potência extremamente alta do EUK 134", "um dos antioxidantes mais fortes disponíveis". Eu não vos consigo dar uma explicação científica suficientemente boa, mas vão ao site e leiam a descrição, se sentirem essa curiosidade.

Este foi um dos produtos que encomendei da primeira vez em que comprei produtos da The Ordinary. É dos que dura mais tempo, porque só é suposto ser utilizado de manhã. Durante muito tempo não me pareceu fazer grande efeito, até acabar. Já o acabei há umas semanas e tenho sentido a diferença na pele, especialmente no grão da pele, que já não está tão fino. Não vos sei explicar melhor do que isto, porque a diferença é subtil. E a verdade é que a finalidade deste produto é a prevenção, não tanto o tratamento. Mas digo-vos que tenciono comprar outra vez, porque de facto noto a ausência e acho que é essencial proteger a pele dos danos causados pelo sol e pela poluição.

Pensei que este ia ser um post um bocadinho mais curto do que o anterior, mas acabou por ficar quilométrico. Ainda bem, é assim que eu gosto deles. Isto dos cuidados a ter com a pele é todo um universo complexo, mas bastante interessante. Cada vez acho mais que é nisto que vale a pena investir, muito mais do que na maquilhagem ou nas unhas, por exemplo. Quanto à The Ordinary, estou fã - como devem ter reparado - e vou continuar a explorar a marca. Também tenho alguma curiosidade em experimentar outras marcas da Deciem, como a Hylamide ou a Niod, sendo que os preços são superiores.

A The Ordinary lança produtos novos com muita frequência, por isso a minha wishlist não para de aumentar. A minha irmã falou maravilhas do óleo de Squalane, que considera melhor que o de marula, o que me deixou com muita vontade de experimentar. O Amino Acids + B5 também me parece óptimo, assim como o B Oil, que mistura vários óleos incríveis com uma micro-alga qualquer (sou a melhor para vos explicar os ingredientes, não sou?). Recentemente a marca também se aventurou pelos protetores-solares minerais e até já tem um produto para o cabelo, e eu tenho vontade de experimentar tudo. Assim acaba por não ficar tão barato, não é? Pois, mas ninguém tem culpa que eu seja shopaholic.

Para quem quiser experimentar a marca, o meu conselho é este: experimentem primeiro o creme hidratante e os óleos. Estes são produtos mais "fáceis" do que o retinol ou os ácidos, por exemplo, e que no limite podem causar umas borbulhinhas mas que não comportam qualquer tipo de risco. Caso queiram experimentar algum de tratamento, experimentem SÓ UM de cada vez. A sério, não mudem a vossa rotina de pele toda de repente. Porque depois não se dão bem com um e não sabem qual. Been there done that.

Quero sempre saber mais e conhecer novos produtos. Por isso diz-me, quais são os cuidados que tens com a pele? E os produto de que não abdicas?

0 Comentários