Corrida aos Óscares - Nomeados para Melhor Filme (1ª parte)

20:54:00 Inês de Almeida 2 Comments

Este ano meti na cabeça que ia ver todos os nomeados para melhor filme antes dos Óscares. Ora bem, a cerimónia acontece no próximo domingo e ainda me faltam três. Mas tudo se faz! Entretanto, já tenho umas postas de pescada para mandar acerca dos que já vi. Vou dividir em duas partes, para não vos maçar ou porque ainda não vi todos.

Este post contém spoilers. Fica o aviso feito.

The Revenant
O Renascido


Este é possivelmente o filme mais falado da temporada. Por um lado, temos novamente o Leonardo Dicaprio num papel soberbo mesmo a pedir para ganhar o Óscar, por outro temos gente a choramingar que o Eddie Redmayne merece ganhar outra vez. É que nem pensem nisso! E sim, estou a fazer uma crítica fundamentada, porque dá-se o caso de também já ter visto The Danish Girl (excesso de tempo livre dá nisto).

Não vou dizer que este é o meu filme favorito dos que estão na corrida, que não é. Mas discordo totalmente de algumas críticas que tenho ouvido/lido. É de facto uma excelente obra de cinematografia, isso é indiscutível. Tem cenas de luta extremamente bem executadas com um só plano, que dá ao telespectador a sensação de estar a assistir presencialmente ao acontecimento. Além disso, não foram usados filtros, portanto todas as cenas e paisagens são extremamente realistas e de tirar o fôlego, dada a beleza dos locais.

O enredo não é o mais rico, na minha opinião, apesar de ser baseado no livro que conta a história verídica de Hugh Glass. Mas não deixa de ser uma história de sobrevivência muito bem contada. É um filme visceral, que mexe com as emoções do princípio ao fim. A começar pela luta do urso, uma sequência aterradora que me deu cabo dos nervos. Saber que os actores vivenciaram muito do que se vê no filme, passando por condições meteorológicas extremas, por exemplo, dá ainda mais valor a esta obra. 

The Big Short
A queda de Wall Street


O The Big Short consegue abordar um tema sério e difícil de uma forma inteligente e divertida. Basicamente transforma a bolha imobiliária e a crise financeira de 2008 em puro entretenimento, mas com a proeza de não retirar a carga dramática ao acontecimento. Sou sincera, antes do filme nunca tinha percebido ao certo o que foi a crise do subprime. Mas agora consegui, graças ao Steve Carell, Brad Pitt, Ryan Gosling e Christian Bale. Sim, o elenco não poderia ser melhor.

Penso que um filme também ganha pontos por abordar assuntos que importam, pelo papel social que pode ter. E nisso o The Big Short tem todo o mérito, porque além de proporcionar umas boas duas horas de diversão, ainda é educativo. O que retiro disto? Que os nossos destinos estão nas mãos de uns quantos engravatados que habitam a outra parte do planeta. 

Long story short: o enredo baseia-se na história dos poucos homens que conseguiram anteceder o colapso da bolha imobiliária. Ou seja, apostaram contra o sistema e as agências de rating e ganharam. O que mais gostei aqui foi mesmo o facto do filme desmistificar certos conceitos de forma a que até os comuns mortais percebam. E isso é serviço público, minha gente. Este é um filme obrigatório, talvez o mais importante a ver desta leva.

Room
O Quarto de Jack


Vi este filme ontem, por isso ainda está bem fresquinho na memória. E uau, que filme! A história foi inspirada no austríaco que fez a filha refém durante 24 anos e teve sete filhos com ela. Neste caso, Joy era uma rapariga de 17 quando foi raptada e posta em cativeiro num barracão durante anos. Acabou por engravidar do seu raptor e é com a narração do filho de cinco anos, Jack, que a história decorre.

Não sei por onde começar aqui. Se pela interpretação fabulosa de Brie Larson ou a ainda mais surpreendente do pequeno Jacob Tremblay. A primeira metade do filme passa-se dentro do barracão, que para o Jacob é todo o mundo de que tem conhecimento. E é interessante como tornaram essa ideia tão verosímil. Joy faz de tudo para entreter o filho, assim como para contribuir para o seu desenvolvimento, mesmo estando restringida a quatro paredes. 

O momento da fuga deixou-me com o coração na boca. No entanto, tenho pena que o clímax do filme decorra a meio e que depois deixe uma certa sensação de vazio na segunda parte. No entanto, Room não deixa de ser um belíssimo filme, sobre o amor entre pais e filhos, sobre a resiliência e a força do espírito humano. Gostei mesmo muito.

Mad Max: Fury Road
Mad Max: Estrada da Fúria


Este era um dos filmes nomeados que me estava menos a apetecer ver, mas acabei por gostar. Quando digo acabei por gostar, não é por este não ser realmente bom, que é, mas por não ser particularmente fã de filmes de ficção científica. De resto, consigo perceber porque teve tanta aclamação por parte da crítica. Tem tudo. Ao nível de efeitos especiais, de interpretações e de sequências de acção é de facto impressionante.

Este é o remake do Mad Max filmado em 1979 e conta com o mesmo realizador, George Miller. Imagino que se note uma diferença colossal a nível de efeitos especiais, não falando do resto. A história passa-se num futuro pós-apocalíptico onde a água e a gasolina são bens escassos e extremamente valiosos, controlados pelo ditador e líder de culto Immortan Joe. O protagonista, Max (Tom Hardy), junta-se à Imperatriz Furiosa (Charlize Theron), para fazer frente ao inimigo. 

É o clássico filme da luta do bem contra o mal, mas com cenários riquíssimos e sequências de acção fabulosas, como a luta travada em carros em andamento (quando virem percebem de que falo). Se é o meu género de filme? Nem por isso, mas é excelente dentro do género, disso não tenho dúvidas. 

Ainda me falta falar do Spotlight (que já vi), do The Martian (que não estou com grande pica para ver), do Bridge of Spies e do Brooklyn (romance de época - I'm in). Por enquanto estou a torcer por dois, o The Big Short e o Room, mas aposto que é o Revenant que vai levar o prémio. 

E vocês? Quais viram e quais gostam mais? Quero saber a vossa opinião.

2 comentários:

  1. Olá, muito bom dia.
    Convido-te a visitares o meu blog. Após alguns ajustes, pretendo seguir com este projeto de coração.
    Com o blog, pretendo partilhar, entre outras coisas, novos lugares, experiências e sabores.
    Caso já o faças, resta-me agradecer.
    Beijinho e uma ótima semana!

    Mónica Rodrigues dos Santos
    http://cupcakewomen.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Mónica!
      Já conhecia o teu blogue 😊
      Boa sorte e sucesso no teu projecto. Beijinhos

      Eliminar